… de ouvir a razão.

Estaria mentindo se não soubesse como te beijar agora
Mas diria a verdade se ficasse parado em seguida
Ninguém me avisou, não ia chorar na saída
mas um bocejo foi o que deu pra disfarçar.

Não é mágoa, talvez seja receio
De que o frio daqui seja pouco, que o verde vá estragar
Antes de te ouvir reclamar, devolver as chaves e suas botas,
esquecer de mim e voltar a andar.

É tudo questão de tempo, talvez nem goste mais
dos carinhos, minhas coxas como travesseiro,
Meus dedos de maresia, seus cabelos

Como um velho a divagar nos mares
no breve amor que não tive desprezo
indago se há cinzas do que ficou

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s