Glamour e sujeira oitentista: Elefant – The Black Magic Show

Segundo álbum da banda nova-iorquina liderada pelo argentino muy hermoso Diego Garcia que vem numa pegada mais tristonha em relação ao seu antecessor. Nesse disco os amores anteriormente conquistados em ‘Sunlight Makes Me Paranoid’, agora perdidos em ‘The Black Magic Show’ deixam uma aura mais sombria. Agora o trabalho é mais polido, limpo, com guitarras menos gritantes, ainda que conte com arranjos mais bem trabalhados.

A banda segue a linha do revisionismo oitentista, captando a essência dos anos 80 (trazida por The Cure, Duran Duran, New Order e Joy Division) e a transportando e modernizando com glamour e frescor para o século 21. Além de lembrar som levemente sujo de Sonic Youth e a garageira de Iggy Pop, reafirmando a era romântica do pop de NY e praticamente imune às influências do punk-funk que bate ponto no som de grupos como Franz Ferdinand e Bloc Party.

O disco vai do começo ao fim com belas melodias, linhas simples e bem marcadas de baixo (como as que apareciam em discos do Pixies) e montes de curiosidades – como o fato da banda ter convidado Don Gilmore para produzir o disco. Teclados e bateria chupados da new wave, vocal levemente choroso – qualquer semelhança com Morrissey não é mera coincidência -, letras melancólicas e uma vontade louca de fazer os outros dançarem são a tônica neste segundo disco do Elefant.

Logo na primeira faixa, iniciam com:  “The freaks have come out tonight, and they already have begun. There’s no difference between wrong and right. Welcome to the Black Magic Show.” Parecendo mesmo ser uma canção dos The Smiths.

É um álbum que se ouve bem, com faixas que à segunda e terceira audição, ficam entranhadas nos ouvidos, como em “The Clown” pelo romantismo a la David Bowie, os riffs delicados e o refrão pop e pesado de “Uh Oh Hello“, a nostálgica “Why“, a sombria e quase operística “My Apology“, a dançante (mas baseada em riffs distorcidos) “The Lunatic” e “Brasil“, que de referência ao país não há nenhuma, parecendo mais um fado.

Elefant é sinônimo de estilo, segurança e pose classuda. E The Black Magic Show pode não ser um álbum novo, mas é realmente muito bom, vale a pena baixar.

Elefant – The Black Magic Show (2006)

http://rapidshare.com/files/145228843/E-TBMS__GIRnR.zip

(Clique aqui para fazer seu download)

2 Comentários

Arquivado em Uncategorized

2 Respostas para “Glamour e sujeira oitentista: Elefant – The Black Magic Show

  1. Luana

    tem certeza que tu faz engenharia?
    hahaha
    eu gostei mesmo da resenha,eu só não posso comentar sobre as influências porque gosto de poucas que você citou. mas se tem mesmo a ver com essas bandas,agora eu entendo porque elas fizeram/fazem tanto sucesso.🙂
    tomara que elefant logo logo faça também.
    e eu já quero cd novo!

  2. lena

    Poxa f6 … parados, novamente …. nanana … pq alguém não manda uma homenagem ao Les Paul ??

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s