Xmas in February

Como não poderei postar em fevereiro, aqui vão algumas dicas rápidas de álbuns para todos os gostos.

Let It Die – Feist

Que a Feist é incrível todo mundo sabe. O Broken Social Scene tambem sabe.

Let It Die é o típico álbum sussa para estudar Mecânica dos Fluidos (substitua por qualquer disciplina que ache estressante) ou simplesmente colocar como trilha sonora daquele filme de comédia romântica ou comercial de grife famosa (Mushaboom é a trilha do comercial de tv da Lacoste). Se Bonequinha de Luxo fosse refilmado, Feist estaria na trilha sonora.

Arranjos ousados de bossa nova, jazz e pop aliados à voz rouca da canadense que dão vontade de fazer piquenique no parque ou se enrolar no edredon eternamente refletindo sobre a vida.

Elevator – Hot Hot Heat

Make Up the Breakdown, o primeiro álbum do Hot Hot Heat pode se chamar passável, 50% das músicas são realmente boas. E o vocalista consegue de alguma maneira te fazer enjoar rapidinho.

Mas perto de Elevator, Make Up the Breakdown não é NADA. É um álbum incrível do começo ao fim. O melhor do rock dançante dos anos 80 com pitadas deliciosas de electro-pop. Ótimas letras, bons riffs e um piano dando o toque especial. E o melhor de tudo, as músicas conseguem se diferir uma das outras. Destaque para You Owe Me An Iou e Pickin’ It Up que por alguma razão são minhas favoritas. Mas ele é todo bom sim, todinho. Ui.

The Black and White Album – The Hives

Da Suécia para o mundo. Quando digo que reverencio o Hives, eu realmente quero dizer isso. Reverências. É isso que o Black and White Album merece. Um álbum de rock! Um bom e velho garage punk com guitarras rasgadas e uma bateria acelerada. Sem frescura, agressivo, dançante e enlouquecedor. É impossível ficar parado. Balance a cabeça freneticamente, bata o pé, balance os braços e o ouça várias e várias vezes seguidas sem enjoar. Na primeira faixa já temos Tick Tick Boom para explodir as estruturas, seguida de 14 faixas igualmente orgásmicas.

Aperitif for Destruction – Richard Cheese

Descobri essa pérola muito por acaso e não me arrependo. Recomendadíssimo! Um álbum apenas com músicas conhecidas popularmente de diversos estilos (hip-hop, metal, pop, rap, alt rock, entre outros) em versão jazz e lounge. Entre os artistas parodiados encontram-se Slipknot, 2 Live Crew, Guns N’ Roses, Beastie Boys, Black Eyed Peas, Alice in Chains, Jane’s Addiction, Metallica, U2, Green Day, Violent Femmes e The Killers. Muitas músicas insuportáveis na versão original se tornam agradáveis na versão de Cheese. Em Sunday Bloody Sunday temos direito até a um: “Um, dois, três, catorze!” de entrada. Ótimo álbum. Piano e sax com uma pitada de humor de muito bom gosto.

TAPE OS OUVIDOS

Hot Chip – Made in the Dark

O Made In The Dark, álbum do Hot Chip, conseguiu empolgar muita gente. Gente demais até. Participei até certo momento dessa empolgação coletiva, mas enjoei rápido demais. É um álbum bom, mas que não traz nada de impressionante. Batidas prontas, infalíveis pras rádios. Ready For The Floor é o tipo de música que funciona com a MTV. Simples de se ouvir, dançante, facilmente mastigável. Você ouve, gosta na hora. Mas não vai ser o CD que você vai querer ouvir frequentemente. Com tanta coisa igual do mundo do eletro, deve-se inovar para conseguir se manter vendendo discos. Será que Hot Chip terá a mesma sorte com o próximo álbum? É, voces nunca serão LCD Soundsystem.

Moldy Peaches – Moldy Peaches

Adam Green deveria seguir sempre com seus trabalhos-solo, já que no Moldy Peaches não consegue mostrar seu talento. O Moldy Peaches é um álbum estranho. Parece ser tocado em casa, na garagem, no corredor, ou em qualquer outro buraco. Sem grandes arranjos (ou até “completamente desarranjadas”), melodias infantis, vozes desafinadas e letras sem sentido. Anyone Else But You virou hino adolescente desde que os protagonistas do filme Juno gravaram uma versão, sendo uma das poucas músicas que se salvam. Às vezes, lembra The Kills ou White Stripes, mas no fim das contas, o Moldy Peaches não passa de garage rock ruim misturado com o Só Para Baixinhos XXV.

VÍDEO

Da minha banda favorita do mês de janeiro – The Decemberists:

http://www.youtube.com/watch?v=e41ygKJ3ABk

2 Comentários

Arquivado em feist, hot chip, hot hot heat, moldy peaches, richard cheese, the decemberists, the hives

2 Respostas para “Xmas in February

  1. Igor Romitelli

    Curti o formato do post; fiquei curioso pelo cd do hot hot heat.

  2. Lari Almeida

    Clique na capa para foder o seu download.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s